Porque a Gestão Pública e a Estatística são tão importantes para Vereadores e Vereadoras

Porque a Gestão Pública e a Estatística são tão importantes para Vereadores e Vereadoras

A atividade parlamentar pode ser dividida em 5 partes distintas: legislar, fiscalizar, assessorar, administrar e julgar. 

Sabemos que, no exercício das suas funções, parlamentares precisam observar os 5 princípios da Administração Pública, que estão presentes no Art. 37 da Constituição Federal de 1988. São eles:

-> a legalidade, fazer apenas o que está previsto em Lei;

-> a impessoalidade, ter sempre como objetivo a finalidade pública, nunca interesses próprios, ou de indivíduos que se queira beneficiar, e nunca se utilizar da máquina pública para fazer promoção pessoal de agentes públicos;

-> a moralidade administrativa, seguir padrões éticos esperados em determinada comunidade;

-> a publicidade, divulgar absolutamente todos os atos praticados pela Administração Pública no JOM – Jornal Oficial do Município, para permitir amplo conhecimento e controle de toda população; e

-> a eficiência, para cumprir todas as obrigações no melhor prazo, custo-benefício, qualidade e segurança jurídica.

É neste sentido que a RG Analytics alia Estatística, Gestão Pública e Análise de Dados para facilitar cada uma das atividades parlamentares:

-> ao fiscalizar, criando indicadores para verificar a eficiência, eficácia e efetividade no uso dos recursos públicos municipais pelo Poder Executivo, pelo Legislativo, no 3º setor (Fundações, Associações) e até por empresas que tenham recebido benefícios do município para funcionar; 


-> ao legislar, auxiliando na elaboração de leis que revertam tendências negativas apresentadas por indicadores e/ou melhorem seus resultados;

-> ao assessorar,  desenhando ações e projetos de interesse público que possam ser sugeridos ao Executivo, mediante indicações;

-> ao administrar, criando indicadores, desenhando ações e elaborando normas que melhorem a administração e organização interna da Câmara Municipal, regulamente seu funcionalismo e direcione melhor a prestação de serviços da casa; e

-> ao julgar, confeccionando pareceres que auxilie vereadores e vereadoras a julgar infrações cometidas pelo prefeito, vice-prefeito e vereadores.

Tudo isso de forma clara, livre do linguajar técnico e jurídico, e verificando se todo este trabalho está sendo compreendido e valorizado por quem mais importa: o eleitorado.

E onde entra a Análise de Dados? É ela quem te permitirá ter:

-> Foco no que mais importa, é muito comum vermos políticos confiarem nos seus instintos, pensarem que uma obra ou a melhoria de determinado serviço é o que renderá reconhecimento e votos, quando a grande prioridade é outra, aos olhos do seu público alvo. Na maioria das vezes, quem faz análise de dados tem êxito, e quem não faz sai derrotado dos processos eleitorais. 

-> Diagnóstico preciso da realidade e necessidade das pessoas, muitas vezes o próprio eleitor, ao ser surpreendido com a possibilidade de manifestar seus interesses,  não sabe dizer de prontidão o que mais lhe incomoda. Só com métodos, perguntas e indicadores corretos, é possível extrair das pessoas aquela ação que fará políticos serem reverenciados.

-> Capacidade de prever tendências e se antecipar a elas, isso só se consegue com um trabalho de longo prazo, pois uma pesquisa é como uma foto. Para uma correta identificação de comportamentos, padrões, ou preferências do seu eleitorado, e compreensão de tendências que possibilitem previsões mais assertivas sobre o que fazer e como se posicionar diante de cada situação, precisamos de várias pesquisas em sequência. Enxergar tendências pode ser decisivo na carreira de um vereador ao analisar alianças com prefeito(a), ou se posicionar diante de projetos polêmicos. 

-> Estratégias mais seguras e assertivas, embasar suas decisões em informações reais ajuda a reduzir erros, otimizar investimentos, melhorar a performance. Não se consegue isso sem uma busca constante por dados que reflitam a realidade, e por um trabalho eficaz de leitura e interpretação desses dados e informações de forma estratégica. 

-> Menos desperdícios de tempo e dinheiro,  imagine a economia de tempo e recursos não gastos em uma ação que iria ter baixo público, ou que seria mal vista, e depois teria que se gastar mais tempo e recursos para “apagar” o que foi feito de ruim. 

-> Inovação, quantos vereadores têm dados em série histórica apresentados em gráficos e dashboards modernos, mostrando de forma didática a situação e evolução da sua cidade? Pensem no tanto de valor que isso pode agregar no trabalho de um(a) vereador(a), e no quão diferente será a percepção da população na hora em que esse(a) parlamentar se apresentar para a sociedade através das redes sociais.

A política é um jogo de soma zero. Isso significa que para alguém ganhar uma eleição, outro precisa perder. Então é preciso conhecer melhor o eleitorado que os demais, saber representá-los naquilo que outros estão falhando, e principalmente, saber apresentar suas qualidades, ou seja, saber se comunicar e estar preparado para atender às expectativas de representatividade da população, para assim ser mais bem quisto e, ao mesmo tempo, o menos rejeitado.

Se você é parlamentar e ainda não tem uma empresa de Estatística, Gestão Pública e Análise de Dados para assessorar seu trabalho, apresse-se. Num mundo onde o eleitorado tem cada vez mais acesso à informação, muito em breve só irá se destacar quem investir na maior profissionalização de sua atuação.

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.